Planeta Reggae

Current track

Title

Artist


Kunda – O novo LKJ “Navio Escravo”

Written by on 15 de julho de 2021

Kunda é um poeta dub que pode ser comparado a LKJ, Mutabaruka ou Gainsbourg e Grand Corps Malade. Aos 63 anos, Kunda nasceu na Jamaica, mas passou seus primeiros anos de juventude nos Estados Unidos.

Quando era criança, gostava de assistir a filmes de artes marciais, especialmente aqueles em que Bruce Lee aparecia. Isso o levará a se inscrever em uma escola de artes marciais e aprender a arte da defesa. Kunda se reúne nesta disciplina, onde também extrai sua força, espiritualidade e o equilíbrio certo em sua vida diária. Nos anos 70 ele se inscreveu para uma escola de soldagem e obteve seu diploma de Mestre Soldador.

Kunda teve outra paixão desde criança: ler livros históricos. A história se tornará mais do que uma paixão durante as décadas seguintes, porque ele agora se tornou um filósofo, historiador e professor.

Apresentando Kunda:

De volta à sua terra natal, há 20 anos, Kunda ficou chocado com a ignorância das pessoas e chocado ao perceber que ponto as pessoas haviam esquecido seu passado conturbado. Uma carência cultural repleta de uma motivação intensa para escrever poesia.

A sua melhor composição carrega consigo uma vontade acrescida de transmitir os conhecimentos adquiridos ao longo dos anos de estudos e investigação, é um dever de recordação inspirado nas suas origens, na sua cultura e no ser Humano (com «H» maiúsculo), o homem em todas as suas melhores e piores dimensões.

Navio escravo:

A compreensão da primeira música de Kunda aconteceu quando seu amigo Omar Perry o apresentou a Mamats, que iniciou um projeto riddim apoiado pela Rádio La Grosse. Omar propôs a Kunda gravar um pouco de poesia em um riddim instrumental do Estado-Maior Oficial. Omar configurou a voz, fez os arranjos claros e enviou um primeiro salto. Todo o staff acolheu esta música com grande entusiasmo e pronto! Nascimento do «Navio Escravo».

«Slave Ship» fala sobre este período em que a Jamaica e o porto de Kingston foram uma das muitas detenções do comércio de escravos, incluindo algumas coisas ruins que aconteceram a todas essas pessoas naquela época. As harmonias dos backing vocals foram dubladas por Omar Perry nos refrões, a mixagem foi feita por Doc Bandol. Essa primeira faixa é o início de uma forte colaboração.