Planeta Reggae

Current track

Title

Artist


Big Youth x Brain Damage lançam novo álbum “Beyond the blue”

Written by on 7 de maio de 2021

Se a gênese desse incrível projeto de colaboração aconteceu de uma forma inesperada e trágica, o produtor Martin Nathan deliberadamente queria aquele álbum mais brilhante do que nunca. Esse segundo e homônimo único ilustra perfeitamente isso. Brain Damage surpreende mais uma vez e destila um som harmonioso, oscilante, colorido com influências precisas mas universais. Arranjos cativantes e, no entanto, sutis de trompa assinados por Franck Boyron trazem um toque de Soul e levam a faixa a um novo nível.

E quanto à Big Youth desempenho incrível? Ele aparece a princípio como um crooner, provavelmente ele próprio influenciado pelos mestres do gênero. E a seguir ele nos tira o fôlego (mas quando ele se recupera?) Com uma longa improvisação de que só ele guarda o segredo, montando as harmonias delicadas oferecidas pelo compositor produtor.

Um verdadeiro momento de graça e simbiose. Com uma única palavra de ordem: «o amor é a resposta», uma mensagem simples mas essencial, com razão mais uma vez martelada nos tempos difíceis da atualidade.

… ou como condensar em uma frase de efeito, a incrível e terrível jornada vivida por Martin Nathan e seu amigo de longa data Samuel Clayton Jr , ambos foram para a Jamaica em março de 2020, para uma colaboração com o lendário Big Youth. O contexto de um primeiro bloqueio mundial sem precedentes lhes deixou muito pouco tempo para gravar as tomadas com o famoso DJ, antes que ambos contraíssem o vírus. Martin Nathan teve a sorte de poder voltar para a França, embora tenha que permanecer confinado e se cuidar sozinho em seu estúdio durante cinco semanas após seu retorno. Samuel Clayton Jr, porém, não voltou, acometido pela doença em Kingston.

A determinação de ferro do produtor, apoiada por seu selo Jarring Effects e pelo produtor jamaicano Stephen Stewart, levou o projeto à conclusão.

Por sua vez, uma coisa é certa, a Grande Juventude está em ótima forma! Ele sinaliza de forma brilhante seu retorno com aquele álbum, composto quase que exclusivamente de novas peças, o primeiro em muitos anos! Nas próprias palavras de vários músicos e cantores proeminentes que testemunharam as tomadas nos estúdios Anchor em Kingston, ele não perdeu nada de sua verve: « … você ainda entende, cara!». Espumante e inesgotável, destilando uma espantosa variedade de estilos vocais, que ele próprio criou, recorda de imediato “os velhos tempos”, a época de ouro do reggae jamaicano nos anos 1960 e 70, realiza a sua versão algo conspiradora, da crise sanitária, evoca sua fé e fala sobre o amor … enquanto se funde perfeitamente em cada universo oferecido por Brain Damage .

Como se estivéssemos encantados em ouvir a forma e a inventividade do ancião, Martin Nathan definitivamente não se superou e reformula seu estilo mais uma vez para a ocasião. Sempre mais musicais, suas composições integram influências diversas, até então inexploradas por ele, como jazz, blues, ska, rock estável… realçadas pelos maravilhosos e suaves arranjos de trompa assinados por Franck Boyrone seus companheiros, Baptiste Sarat e Fred Roudet . O todo, baseado em uma produção que não deixou nada ao acaso, certamente é uma nova pedra angular da rica discografia de Brain Damage que nos mantém imaginando até onde isso nos levará de novo.

Samuel Clayton Jr , no entanto, fará muita falta. Se alguém pode ouvi-lo regular e claramente como samples, ao longo do que permanecerá o último álbum em que trabalhou, é acima de tudo sua mentalidade que Martin Nathan se esforçou para respeitar com essa nova aventura musical e humana.

A emoção é audível, tangível.


Reader's opinions

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *